quinta-feira, 23 de novembro de 2017

POLÍTICO DÁ 1,3 MILHÃO PARA DECAPITAR ATRIZ

Político dá 1,3 milhão a quem decapitar atriz de polêmico filme indiano
Um membro do partido do governo na Índia fez esta semana um comunicado onde oferece 1,3 milhão de euros a quem entregar a cabeça da atriz Deepika Padukone e do diretor Sanjav Bhansal, do filme "Padmavati". Tudo porque o filme retrata a vida de uma lendária rainha hindu e a relação com um governante muçulmano.
O filme baseia-se num poema épico do século XVI, "Padmavati", que relata a história de uma rainha hindu que preferiu matar-se do que ser refém de um sultão muçulmano. Apesar do relato ser considerado fictício, ao longo dos séculos passou a ser visto como uma história verídica.
As críticas surgem pela alegação de que o realizador teriá distorcido a história através de uma relação romântica entre os protagonistas.
Muito esperado, o filme de Bollywood teve lançamento adiado após uma série de criticas feitas pelos partidos políticos e ameaças aos protagonistas e realizadores. Para o partido político nacionalista Bharativa Janata, o filme corrompe a lenda hindu.Amu,um dos representantes do partido, ordenou assim o assassinato da atriz Deepika Padukone e do diretor do filme, Sanjav Bhansali, por uma recompensa de 1,3 milhões de euros, assim como a organização duma greve nacional contra o lançamento do filme.
"Nós iremos recompensar quem decapitar Pakudone e Bhansali", afirmou.
Para que o filme possa ser exibido, vários ministros ordenaram que algumas das cenas fossem removidas do filme, o que acabou por atrasar o lançamento.
O diretor já se desculpou em público e afirmou que o enredo do filme não tem a cena de amor entre a rainha hindu e o guerreiro muçulmano. Aliás, o filme surge como uma homenagem aos Rajput e à coragem e força com que resistiram aos exércitos muçulmanos, alega.  CARTAZ DO FILME
Apesar das autoridades assegurarem proteção máxima para os atores e diretor do filme, vândalos atingiram alguns dos cinemas em que o filme estará em exibição.

Nenhum comentário:

Postar um comentário